Marcelo Sales

A TI não pode ser uma barreira à inovação

Blog Post created by Marcelo Sales Employee on Jul 2, 2018

Apesar das inúmeras discussões sobre a importância da TI nos negócios, muitas empresas ainda a veem como uma simples área de custo. E essa visão não tem futuro.

 

por Marcelo Sales*

 

A corrida contra o tempo para criar empresas digitais e gerar inteligência a partir dos dados tem como premissa a inovação. Esse é um pilar imprescindível na tentativa de ganhar competitividade e expandir as frentes de negócio. No entanto, antes de realizar projetos de natureza inovadora, e até mesmo para viabilizar a adoção de tecnologias disruptivas, a TI precisa se renovar.

 

Essa reestruturação demanda uma mudança no mindset de profissionais e executivos da organização como um todo. Recente, pesquisa desenvolvida pela Robert Half com mais de 2 mil CFOs, apontou que muita burocracia (30%) e a necessidade de lidar com tarefas diárias e emergências (27%) são as principais barreiras à inovação. Esses problemas ocorrem em toda e qualquer área, mas, dentro da TI, ganham um peso diferente, justamente porque vivemos na era digital. E não tratar esses e outros desafios com a importância que merecem pode condenar a área à estagnação.

 

13_TI_barreira_inovação_hitachi vantara.jpg

 

Uma das principais discussões no mercado é que, em alguns anos, a TI não será mais como conhecemos. E isso certamente ocorrerá, não apenas porque torná-la estratégica tornou-se requisito mandatório, mas também porque as organizações necessitam de suporte para pensar, cada vez mais, em novas formas de inovar.

 

Entre os caminhos para integrar a TI operacional com a estratégica, o Gartner criou o conceito de TI Bimodal, que divide a área em duas partes. No modo 1, a atuação é previsível e busca melhorar e renovar tarefas já comuns e bem compreendidas pela TI; o modo 2, entretanto, é exploratório, experimentando para implementar tendências e resolver novos problemas.

 

Nem todo o mundo acredita nessa divisão de área, mas, para algumas companhias, ela pode, realmente, ser uma alternativa Ainda assim, ela apresenta problemas, pois exige dois esforços distintos. Apesar das inúmeras discussões sobre a importância da TI para transformar as organizações, muitas ainda a veem como uma simples área de custo. Portanto, esse conceito pode ser visto apenas como uma ação que requer mais recursos.

 

É por isso que, para não barrar a inovação, a TI deve ficar próxima das áreas de negócio. Na verdade, diversos conhecimentos da TI devem ser absorvidos por profissionais de todas as áreas da empresa, para que a tecnologia, verdadeiramente, suporte o negócio.

 

O mundo caminha para uma realidade 100% digital, ou seja, todos nós, independentemente de área de atuação, teremos que conhecer preceitos básicos da TI. Nos negócios, interagir com a tecnologia será um pré-requisito, pois, em um futuro muito próximo, eles estarão calcados nessa relação. E mais: a velocidade com que as coisas acontecem e se transformam não permitirá que nenhuma área fique estagnada. Não sabemos onde toda essa evolução vai parar, se a TI será completamente diluída em outros setores ou não. O certo é que, por mais árduo que seja o caminho, ele é o que é.

 

*Marcelo Sales é Diretor de Arquitetura e Pré-vendas da Hitachi Vantara LATAM

Outcomes