Marcelo Sales

4 fraudes que a IoT vai combater

Blog Post created by Marcelo Sales Employee on Nov 19, 2018

Muitas vezes, a adoção da Internet das Coisas aparece ligada ao surgimento de novos golpes cibernéticos, mas pouco se fala sobre as fraudes que essa tecnologia vem combater

 

No início desse ano, tive contato com uma pesquisa do IDC que apontava que o IoT movimentaria R$ 8 bilhões de dólares esse ano no Brasil. E, ao longo do ano, acompanhei diversas notícias sobre a adoção dessa tecnologia por aqui. Ou seja, a Internet das Coisas não é mais só um assunto sobre o qual vamos discorrer e discutir – ela já está presente no nosso dia a dia. E, ainda que se fale muito no mercado sobre as possíveis fraudes ou golpes que podem acontecer com os dispositivos conectados, apenas 5% das empresas na nossa região veem a segurança como um desafio na adoção deles.

 

Mais do que isso, eu, particularmente, vejo uma vantagem no combate às fraudes para empresas e setores que já estão usando o IoT.

 

Texto#1_hacker-1944688_960_720.jpg

Fonte: pixabay.com

 

IoT e criptografia aliados no campo

Em um http://tiinside.com.br/tiinside/home/internet/07/03/2018/uso-de-blockchain-e-iot-no-campo-pode-evitar-fraudes-no-agronegocio-diz-especialista/artigo publicado na TI Inside, sobre blockchain e IoT, o Gerson Rolim, CIO da The Data Company, afirmou que seria possível evitar fraudes como as descobertas na operação “Carne Fraca” com o uso do IoT. Ele defende que com a Internet das Coisas ligando de ponta-a-ponta a produção agrícola e pecuária, e com os dados obtidos no processo sendo armazenados de forma criptografada, a adulteração de dados seria impossível – e facilmente rastreável.

 

O que me parece é que quando falamos de conectar dispositivos, logo acendemos uma luz vermelha, levando em consideração que os dados estarão não só conectados à internet – o que já apresenta um risco eminente – mas espalhados, o que tornaria mais difícil o controle sobre eles. No entanto, ao associar o IoT à criptografia e, ainda mais como sugere Rolim, ao blockchain, as fraudes podem ser reduzidas à praticamente zero.

 

O desafio da água no mundo e as fraudes ligadas à nossa rede

A tecnologia é um dos grandes aliados da sustentabilidade. Com ela, tem sido possível fazer projetos de cidades e casas inteligentes, nas quais os recursos naturais são poupados. Uma das grandes aplicabilidades do IoT nesses projetos tem relação com a perda de água.

 

Hoje, de acordo com o http://www.snis.gov.br/diagnostico-agua-e-esgotos/diagnostico-ae-2016relatório anual do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), o Brasil perde 38% da água nos canais de distribuição. Essa perda vem por falhas e problemas na rede, por desperdícios e, muito também, por fraudes e ligações clandestinas.

 

Porém, com sensores de ponta a ponta, ligados a sistemas robustos de processamentos de dados, estas últimas tornam-se muito mais difíceis de acontecer, ou mesmo, mais fáceis de detectar. O mesmo vale para as perdas de energia. É possível, por exemplo, ligar os sensores a redes LoRa (de grande alcance e baixo consumo) e monitorar a medição, o fluxo e a perda em tempo real.

 

Associado ao machine learning, um grande aliado dos varejistas

Mais um caso de aplicabilidade conjunto que, acredito, veremos muito em breve em ação é a Internet das Coisas associada ao machine learning. Ora, se as máquinas estão aprendendo, o fluxo de dados para que isso aconteça vem de algum lugar – e por que não dos dispositivos conectados?

 

Essa já é uma realidade que algumas startups voltadas ao varejo estão propondo. No momento de uma compra, por exemplo, se seu sistema de pagamentos faz um simples cruzamento de dados, digamos, com a base do Serasa, é possível detectar e apontar uma possível fraude.

 

Carros conectados levando mais inteligência ao setor de seguros

Para finalizar essa lista, vale falar sobre a segurança que os carros conectados podem nos dar – e como também podem agilizar os negócios das seguradoras. Além de sabermos os melhores trajetos e monitorarmos a manutenção do nosso veículo mais proximamente, os chips embarcados podem nos dar a localização exata do automóvel, além de comunicar os últimos trajetos feitos.

 

Do ponto de vista do segurador, a vantagem é óbvia. Com um monitoramento do carro segurado, além de um perfil mais detalhado e realista do condutor, é possível combater fraudes.

 

Estes são só alguns exemplos de como a Internet das Coisas pode ser encarada como uma evolução no quesito segurança da informação. É claro que, assim como as novas tecnologias, novos tipos de fraude podem surgir, mas a inteligência em combinar a captação e processamento de dados de maneira inteligente, minimiza os riscos, além de melhorar as cadeias de produção e de entregas de serviços.

Outcomes