Marcelo Sales

Video Analytics: 3 mercados que podem prosperar com o melhor uso dessa tecnologia

Blog Post created by Marcelo Sales Employee on Dec 5, 2018

O monitoramento por câmeras já deixou de ser novidade em muitos mercados e agora o desafio é outro: como extrair dos vídeos dados valiosos que possam ser utilizados para apoiar estratégias de negócios, inovação e segurança

 

Marcelo Sales* (artigo publicado originalmente no portal Olhar Digital - https://olhardigital.com.br/colunistas/marcelo_sales/2018/11/)

 

Monitorar automaticamente diferentes ambientes, enviar alertas e acionar tarefas com base em uma análise instantânea de vídeo já é uma realidade em diversos setores. Mas agora, essa tecnologia caminha das simples funções para a busca por soluções de negócio, ao se conectar com a Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Percebo, cada dia mais, que é para esse lugar que os profissionais das áreas de tecnologia e inovação estão voltando seus olhos: para Video Analytics (VA). De acordo com o relatório da Technavio, espera-se que o mercado global de VA tenha um crescimento próximo a 31% até 2021, o que significa um incremento de US$ 1,65 bilhões. Isso por que está mais claro para o empresariado que, com análise de vídeo, é possível. Vamos falar de algumas possibilidades.

 

Mobilidade urbana assertiva

O papel da análise de vídeo, por exemplo, no gerenciamento de tráfego de uma cidade inteligente é apoiar na gestão da mobilidade e prevenção de acidentes. Nesse mercado, VA pode atuar como um sistema de detecção de movimento e padrão, emitindo relatórios que suportam projetos que visam reduzir congestionamentos e os motivos que causam acidentes nas vias. Na prática, isso significa, ajudar a detectar quaisquer violações de regras de tráfego, como excesso de velocidade, ultrapassagem irregular, avanço inadequado no semáforo e até identificação de objetos num quadro determinado, como um pedestre andando em local proibido.

 

Texto#4_architecture-building-camera-374103.jpg

Fonte: pexels.com

 

Ainda sobre transporte, algumas organizações de trânsito utilizam inteligência de vídeo para detectar quando as estações estão lotadas e implantam rapidamente o número certo de ônibus ou vagões de trem. Veja que, mais do que resolver diariamente situações, é poder mapear e aplicar inteligência de dados para entender comportamentos e, com isso, obter novas formas de desenvolver mobilidade urbana.

 

Indústria com processos claros e trabalho seguro

Já na indústria, a VA traz mais segurança e clareza para processos. De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho, Advocacia Geral da União e Observatório Digital de Saúde e Segurança e do Trabalho, foram registrados quase 500 mil acidentes de trabalho em 2016 e o levantamento também aponta que há uma média de 500 ações indenizatórias por ano. Com vídeo inteligente, os gestores de plantas podem receber alertas em tempo real sobre violações de segurança, instituir programas preventivos orientados por dados, otimizar os tempos de resposta a incidentes, fortalecer programas de treinamento de funcionários e antecipar necessidades de manutenção. Isso torna o local de trabalho mais seguro. Além disso, com a coleta desses dados, é possível analisar produtividade, melhorias na linha de produção e desenvolver inovações estruturais. Sem dúvida, há uma redução significativa nos custos de manufatura.

 

O que a loja mostra

E, por último, vejo um potencial muito grande no varejo, quando as empresas desse setor souberem tirar vantagem dessa tecnologia. De acordo com o relatório Center Build Update, de 2017, produzido pela Cushman & Wakefield, é previsto o fechamento de mais de 12 mil lojas nos Estados Unidos. Já sabemos que o Brasil segue essa mesma tendência e isso mostra a necessidade do varejista desenvolver novas abordagens para sua sobrevivência. Ao usar a tecnologia de Video Analytics para buscar insights sobre comportamento e preferências do cliente em suas lojas, eles podem customizar opções, oferecer itens por demanda e reduzir a perda de produtos, por exemplo. Indo direto ao ponto de venda, isso significa melhorar a experiência de compra do cliente, reduzindo seu tempo em atendimento, facilitando sua compra e evitando gastos com espaços desnecessários.

 

Já sabemos há muito tempo quanta informação está presente em um vídeo, mas estamos apenas começando a explorar todo o seu potencial de geração de dados com o viés de negócio e inovação. Ao conectarmos captação de imagem e inteligência artificial passamos a ter uma ferramenta para analisar uma ampla gama de situações e, com isso, gerar ambientes mais saudáveis, seguros, inteligentes e economicamente viáveis.

 

*Marcelo Sales é Diretor de Arquitetura e Pré-vendas da Hitachi Vantara LATAM

 

https://olhardigital.com.br/colunistas/marcelo_sales/2018/11/

Outcomes